São Joaquim e Serra Rio do Rastro / SC

Local : São Joaquim e Serra Rio do Rastro / SC
Evento : Viagem com amigos para conhecermos a famosa Serra do Rio do Rastro, na cidade de Lauro Muller / Santa Catarina.

Maricá/RJ x Florianópolis/SC
Saída: 06/06/12 - 13:00 hs
Chegada: 07/06/12 - 13:00 hs
Km percorridos: 1.250,5 Km

Florianópolis/SC x São Joaquim/SC
Saída : 08/06/12 - 12:00 hs
Chegada: 08/06/12 - 18:45 hs
Km. percorridos: 289,8 Km

São Joaquim/SC x Curitiba/PR
Saída: 09/06/12 - 11:00 hs
Chegada: 09/06/12 - 23:00 hs
Km. percorridos: 591,7 Km

Curitiba/PR x Maricá/RJ
Saída: 10/06/12 - 06:40 hs
Chegada: 10/06/12 - 21:00 hs
Km. percorridos: 955,6 Km

Total de Km percorridos durante toda a viagem: 3.087,6 Km


Hospedagem Florianópolis/SC : Castelmar Hotel
Hospedagem São Joaquim : São Joaquim Park Hotel
Hospedagem Curitiba/PR : Hotel Formule 1

Total de gastos com gasolina : R$ 445,96 / 154,03 Litros

Total de Pedágios ida e volta : 35 pedágios / R$ 55,55


Essa viagem foi idealizada pelos amigos Maguim, Lilo e Saparuga, os dois primeiros de SP e o último do RJ, com a finalidade de fazer as curvas da famosa Serra do Rio do Rastro.
De início achei que não tinha como eu participar da viagem, considerando-se que as motos dos idealizadores da viagem eram 600cc e eu poderia atrasar o grupo, mas como o nosso amigo Pallas também aqui do RJ resolveu participar da aventura, então eu teria companhia na faixa das 250cc e com isso foi só começar os preparativos para a viajarmos rumo à região sul do país.
Na viagem ainda teriamos a companhia de mais um amigo aqui do RJ, o Hawk, que seguiria conosco apenas até Curitiba, para onde iria visitar parentes.
De SP também teriamos mais uma companhia, a Noellen, que seguiria viagem junto com o Maguim.
Moto toda ok e bagagem arrumada saí de Maricá no dia 06/06/12, quarta-feira, às 13:00 hs, debaixo de uma chuva fina e às 14:30 hs encontrei com o Pallas na Casa do Alemão da Rodov. Pres. Dutra, onde ficamos até às 15:15 hs aguardando o Saparuga e o Hawk.
Grupo reunido começamos viagem e as únicas paradas que tinhamos programadas com antecedência eram em Registro/SP para encontrarmos com os amigos de SP e depois a chegada em Florianópolis na manhã do dia seguinte, mas entre essas paradas fizemos várias outras para abastecimento, lanche e banheiro.
A partir de São José dos Campos/SP, isso já à noite, começamos a pegar chuva forte na estrada e muito frio, mas estavamos devidamente agasalhados e com roupas de chuva, porém houve o 1º contra-tempo da viagem. A viseira do capacete do Pallas desencaixou e levantou vôo, sem chance de voltar para procurar pela velocidade em que estavamos, pelo breu da noite e muitos caminhões na rodovia.
O Pallas decidiu continuar viagem sem a viseira, só que passou uma braba com a chuva forte e o frio no rosto, mas por isso ficou com o rosto queimado de frio e os olhos muito irritados antes de chegarmos à Florianópolis.
Ao chegarmos em Registro/SP, isso por volta de 12:30 hs, houve o 2º contra-tempo, pois estava combinado de encontrarmos com o Maguim e Noellen próximo da hora em que chegassemos ali, mas somente às 01:30hs recebemos mensagem do Maguim que só encontrariam conosco às 06:00 hs, o que era fora da nossa realidade de horário, então decidimos continuar viagem e esperariamos por eles no hotel em Florianópolis.
Pilotar durante o dia na Rodovia Regis Bittencourt já é considerado perigoso, mas a noite, com chuva, frio, neblina e muito caminhão é realmente coisa de doido.
Às 05:00 hs, já em Rio do Turvo/SP, ocorreu o 3º contra-tempo. Fomos obrigados a parar em um posto de apoio ao usuário da Concessionária da Rodovia, pois fora a chuva, a neblina começou a ficar muito densa e estava perigoso de continuarmos pilotando com pouca visibilidade junto aos caminhões.
Decidimos que esperariamos o dia começar a clarear para seguirmos viagem, mas antes disso o Hawk decidiu continuar sozinho, já que ele só iria até Curitiba, o que já estava bem próximo.
Ficamos então eu, Pallas e Saparuga lá no posto de apoio tomando vários cafézinhos e de vez em quando batendo papo com alguns caminhoneiros que paravam por lá, inclusive um deles nos avisou que na descida da serra, quase chegando ao Paraná era para tomarmos muito cuidado, pois alguns vagabundos costumavam espalhar óleo na pista durante a noite para provocarem acidentes e efetuarem saques e roubos, mas acho que devido a chuva não houve nenhuma ocorrência naquela noite.
Ficamos sabendo que naquela mesma semana os tais vagabundos haviam derrubado um poste de sinalização na rodovia, também com o mesmo intuito criminoso.
Finalmente às 06:30 hs conseguimos continuar a viagem e ainda tinha muita estra a ser percorrida até Florianópolis.
Em Curitiba houve o 4º contra-tempo, com a descoberta de que os retentores das bengalas da minha moto estavam vazando, mas não foi impedimento para que prosseguissemos e finalmente às 13:00 hs e após 22 horas após sairmos do RJ chegamos em Florianópolis.
Como na quinta-feira era feriado, teriamos que esperar até sexta-feira pela manhã e procurar uma oficina para consertar minha moto e também comprar uma viseira ou capacete novo para o Pallas.
Ao entardecer começamos a ficar preocupados com a falta de notícias do Maguim e Noellen, fora o Lilo que nem sabiamos se realmente participaria da viagem.
Graças a Deus o Lilo chegou ao hotel e bem mais tarde chegaram o Maguim e a Noellen.
Daí pra frente tudo correu muito bem e curtimos muito toda a viagem com céu claro e sol, mas muito frio em Florianópolis, São Joaquim e Curitiba.
Na volta pra casa fomos juntos até Curitiba, aonde dormimos na última noite da viagem.
No domingo eu e Pallas saímos bem cedo e voltamos sozinhos para o RJ, pois na segunda-feira bem cedo eu precisava sair para trabalhar. De Curitiba/PR até Maricá/RJ foram 14 horas de estradas em condições excelentes em relação à viagem de ida, com o pior trecho na Rodovia Regis Bittencourt, na Serra do Cafezal, entre as cidades de Miracatu/SP e Juquitiba/SP.
No domingo pela manhã o Hawk encontraria com o restante da galera em Curitiba e de lá continuariam viagem de volta ao RJ, com o Maguim, Noellen e Lillo ficando em SP.
Já na segunda-feira confirmamos que todos haviam chegado bem em casa.
A viagem foi sensacional e pilotar na Serra do Rio do Rastro nem foi tão emocionante quanto eu pensava, mas o visual do Morro da Igreja e do Mirante da Serra do Rio do Rastro, isso sim foram espetáculos que jamais esquecerei, fora a companhia dos amigos em mais essa aventura pelas estradas.


Começo as fotos com essa maravilha de foto retirada da internet, na qual é possível visualizar a linda sequência de magníficas curvas da Serra do Rio do Rastro.


06/06 - quarta-feira -  17:17 hs
Nossa primeira parada, 2 hs após sairmos do Rio de Janeiro foi em Queluz/SP, para abastecimento, café e banheiro.



07/06 - quinta-feira - 01:13 hs
Posto Fazendeiro - Registro/SP
No ponto de encontro marcado com os amigos de SP ficamos quase 1h esperando até que recebemos mensagem avisando que só chegariam às 06:00hs, então decidimos continuar viagem sozinhos.



07/06 - quinta-feira - 05:02hs
14 horas após nossa saída do Rio de Janeiro fomos obrigados a parar no
Posto de Apoio ao Usuário da Concessionária da Rodovia Regis Bittencourt / Rio do Turvo/SP, pois estava chovendo, com uma neblina muito forte e grande quantidade de caminhões e carretas na rodovia, então o mais sensato a ser feito era descansar um pouco e esperar a neblina diminuir, mas o Hawk esperou pouco tempo e decidiu continuar viagem sozinho já que ele iria só até Curitiba.


A grande vantagem da parada no Posto de Apoio ao Usuário foi que lá na sala estava quente, com café, água e banheiro, sem contar que ainda fizemos amizades com alguns caminhoneiros que nos deram dicas importantes sobre a rodovia.


07/06 - quinta-feira - 06:37hs
Após 1h30min parados finalmente a chuva cessou e a neblina diminuiu bastante, então continuamos nossa viagem rumo à Florianópolis.
Lá no Posto de Apoio os caminhoneiros nos alertaram que um pouco antes da divisa de SP x PR havia um trecho da Regis Bittencourt em que vagabundos espalhavam óleo para provocar acidentes e cometerem saques de cargas e roubos, mas graças a Deus naquela madrugada eles faltaram ao trabalho.


07/06 - quinta-feira - 13:00hs
22 horas após nossa saída do Rio de Janeiro, enfim chegamos ao Hotel em Florianópolis/SC.
Total percorrido de Maricá/RJ à Florianópolis/SC 1.250,5 Km.
  
 

07/06 - quinta-feira - 15:31hs
Vista da janela do apartamento do Hotel Castelmar em Florianópolis.


08/06 - sexta-feira - 11:00hs
Na quinta-feira de madrugada, ainda na estrada, descobri que os dois retentores das bengalas da minha moto estavam vazando, então na sexta-feira tive que recorrer à CC Yamaha de Florianópolis e com isso perdemos algumas horas rumo à São Joaquim.


 

 
 
08/06 - sexta-feira - 12:15hs
São Pedro deu uma grande ajuda para que continuassemos a viagem de Florianópolis até São Joaquim curtindo os lindos visuais pelas estradas.


Florianópolis



08/06 - sexta-feira - 13:00hs
Parada para fotos no caminho para Urubici/SC




08/06 - sexta-feira - 15:44hs
Morro da Igreja - Urubici/SC


No alto do Morro da Igreja funciona uma base do radares do Cindacta.


O visual do Morro da Igreja é muito show e o frio intenso.


A Pedra Furada






Pallas, Noellen, Maguim e Eu.



Lá no Morro da Igreja tinham algumas raposas, mas elas não são tão selvagens, pois se arriscam a chegar um pouco próximo dos visitantes, talvez na intenção de conseguir comida.




08/06 - sexta-feira - 21:58hs
Ao chegarmos em São Joaquim foi só deixarmos as motos e as bagagens no hotel para sairmos em busca de um local onde pudessemos jantar.


Contavamos com a possibilidade de que nevasse lá em São Joaquim,  mas o máximo que conseguimos ver foi uma geada fina que cobria o teto dos carros e algumas árvores.



08/06 - sexta-feira - 23:23hs
Praça de São Joaquim/SC
Nunca havia me imaginado em um local com temperatura abaixo de 0º e fiquei surpreso de como me adaptei tão bem ao frio.








09/06 - sábado - 09:12hs
O amanhecer em São Joaquim foi de céu claro com sol, mas às 09:00hs ainda era possível ver alguns campos com o mato coberto pela geada que caiu durante a noite e muito interessante ver a fumaça que saia das chaminés das casa fazendo uma fina névoa pela cidade.






Um céu limpinho e um sol lindo, mas a temperatura ainda em 4º graus.





Pela manhã ainda era possível ver a água do lago do chafariz congelada


Prédio da Prefeitura de São Joaquim


Prédio da Câmara de Vereadores de São Joaquim


Monumento em homenagem ao fundador da cidade, o bandeirante paulista Manoel Joaquim Pinto.






As plantas ainda cobertas de gelo.



Igreja Matriz de São Joaquim


Escultura de Nossa Senhora da Serra




Placas de gelo no lago do chafariz



Entrada do São Joaquim Park Hotel




08/06 - Sexta-feira - 11:00hs
Odômetro da moto ao sairmos de São Joaquim/SC rumo à Serra do Rio do Rastro.


08/06 - sexta-feira - 12:18hs
Chegada no Mirante da Serra do Rio do Rastro







Quando chegamos ao mirante tinha um grande número de motociclistas por lá e pela maioria das placas das motos eram Catarinenses e Paulistas.




Lá no mirante tinham muitos Quatis e todos mansos, a ponto de virem comer em nossas mãos.





Da esquerda para à direita: Noellen, Jucabala, Maguim, Saparuga, Lilo e Pallas.
Após algum tempo curtindo o visual a partir do mirante, enfim desceriamos pelas curvas do nosso objetivo final da viagem, a tão esperada Serra do Rio do Rastro.




Total de KM rodados ao chegar em casa



Vídeo no Morro da Igreja - Urubici/SC



Link do video com a galera descendo a Serra do Rio do Rastro/SC